Vanessa Hudgens fala sobre “A Princesa e a Plebeia” em entrevista à Glamour

   21 novembro, 2018       Lucas Teixeira      Notícias  

Vanessa concedeu uma entrevista à revista People, onde falou sobre os desafios de interpretar duas personagens diferentes no seu novo filme para a Netflix “A Princesa e a Plebeia”. Confira:

Sobre interpretar duas personagens distintas ao mesmo tempo, Hudgens admitiu que foi desafiador. “Foi muito confuso! Temos as duas personagens e elas trocam de lugar, então tentar descobrir se eu era a americano tentando ser a britânica, ou a britânica fingindo ser a americana, definitivamente foi uma situação confusa.”

Mas o desafio de trocar de papéis – além dos sotaques – foi o que a atraiu para o papel, junto com seu desejo de trazer um pouco de alegria natalina para o mundo.

“O mundo está um lugar tão louco. Todos nós estamos precisando de um pouco de luz, de uma válvula de escape. E que melhor maneira de fazer isso do que com uma comédia romântica de Natal?”, disse Hudgens.

Quando o trailer do filme foi divulgado, os fãs não puderam deixar de fazer comparações com “Operação Cupido”, a icônica comédia romântica de 1998, estrelada por Lindsay Lohan.

Hudgens se diz lisonjeada pela comparação. “Eu assisti esse filme tantas vezes… Minha irmã e eu costumávamos interpretar as cenas, ainda é um dos meus favoritos. Assim como eu ainda adoro, espero que o filme se torne um clássico para meus fãs e que eles ainda assistam daqui muito tempo.”

Das duas personagens que interpreta no longa, a atriz revelou que se identifica mais com a confeiteira americana Stacy, embora suas tradições natalinas envolvam mais coquetéis do que assar biscoitos.

“De maneira nenhuma eu sou uma cozinheira”, brinca Hudgens. “Eu comeria um prato de macarrão com um pedaço de bolo qualquer dia. Adoro usar vinho nas receitas, a) porque é delicioso, b) porque faz toda a casa cheirar tão bem. Além disso, o whisky Fireball com a cidra espumante da Martinelli é outro clássico de fim de ano meu. É tão bom! É o coquetel perfeito para as festas.”

Hudgens poderia ter usado uma bebida festiva para ajudar a entrar no clima de todas as coisas alegres e brilhantes durante as filmagens de A Princesa e a Plebeia na Romênia, no auge verão europeu.

“Estávamos em maio/junho, filmamos em uma cidade muito pequena, onde muitas pessoas não falavam inglês”, diz Hudgens. “Estava um calor absurdo, então usar casaco e cachecol era a última coisa que queríamos fazer. Tivemos muito faz de conta para parecer real.”

Clique aqui para conferir a entrevista original.

Ainda, Hudgens também concedeu uma entrevista à revista Glamour para falar sobre o filme. Além de contar detalhes das gravações, ela comentou sobre a importância da representatividade étnica em Hollywood e o fato de ser uma das poucas asiáticas na época do Disney Channel. Confira:

Na América, muitas pessoas tornaram-se obcecadas pela realeza nos últimos anos. Você acompanhou a jornada de Meghan Markle e do Príncipe Harry?
Hudgens: Eu definitivamente assisti o casamento real enquanto estava no cabelo e maquiagem para o filme. Mas para mim, toda essa obsessão de princesa veio de crescer assistindo aos filmes da Disney. Eu cresci com todos os clássicos, e sempre fantasiei sobre ser uma princesa da Disney.

Tinha alguma princesa da Disney em especial que você admirava quando era criança?
Hudgens: Eu amo a Princesa Jasmine porque ela é tão corajosa e tem um pensamento livre. E ela tem um tigre de estimação. Isso é muito incrível!

É engraçado – eu entrevistei Lana Condor, que está em outro filme da Netflix, Para Todos os Garotos Que Amei. E nós duas dissemos que, crescendo como crianças asiáticas, você era uma das únicas mulheres de cor que poderíamos admirar em um filme da Disney. Eu não via mulheres de cor em filmes e programas de TV quando eu era mais jovem. Eu realmente gostei disso.
Hudgens: Ah, isso é tão fofo! Obrigada!

Foi legal ver um filme de Natal sobre uma princesa que não é branca, para as crianças de cor se inspirarem? Você espera que isso faça com que as crianças que querem ser princesas serem capazes de olhar para você como elas fariam com Jasmine?
Hudgens: Sim. Uau, quero dizer, eu nem tinha pensado nisso, mas isso é muito especial e uma responsabilidade incrível. Como as pessoas que estão na indústria do entretenimento conseguem dar, eu sinto que esses personagens são tão divertidos, personagens de pensamento livre que são ótimos modelos para um público mais jovem e de diferentes etnias. É muito especial.

Você mencionou que assistiu ao casamento real enquanto fazia cabelo e maquiagem. Você tirou alguma inspiração? Ou pensou nos paralelos entre Meghan Markle e sua personagem Stacy?
Hudgens: Definitivamente foi algo que passou pela minha cabeça com certeza. Mas especialmente agora que ela é da realeza, você não necessariamente recebe as maiores informações. É mais uma visão à distância. Então eu meio que me coloco no lugar dela e vejo como isso seria para mim como uma realidade, e como a imagem completa é a sensação disso.

Qual seria a regra mais difícil para você seguir como realeza?
Hudgens: Pode parecer tão bobo, mas acho que é ficar sem Instagram. É como eu mantenho contato com meus amigos e minha família e me conecto com meus fãs. É também um lugar que eu procuro muita inspiração, seja maquiagem de cabelo e maquiagem ou fantasias de Halloween ou ideias de presentes de Natal. Me afastar disso seria estranho.

Deixando a realeza de lado, há uma vibe Operação Cupido bem grande em A Princesa e a Plebeia. Isso foi algo que te animou quando você leu o roteiro pela primeira vez?
Hudgens: Sim, é um dos meus filmes favoritos! Eu e minha irmã [Stella] interpretamos as cenas do filme e assistimos de novo e de novo, como as crianças fazem. Era um clássico na minha casa e eu fiquei tipo “Ai meu Deus! Este filme é exatamente assim!”

Você tinha uma gêmea específica quando interpretava o filme? Você era Hallie de Napa, ou era Annie do Reino Unido?
Hudgens: Nós ficávamos trocando, porque assistíamos com tanta frequência e conhecíamos todas as falas tão bem. Escolhíamos o que parecia certo no momento.

Qual é a sua cena favorita?
Hudgens: Provavelmente a cena de esgrima, onde elas tiram os capacetes e olham uma para a outra. E também a cena onde elas mostram uma a outra a foto da mãe e do pai, e então eles se encaixam perfeitamente. Como [fazendo a impressão perfeita da Lindsay Lohan] “Essa é a minha mãe!” e “Esse é o meu pai!”

Há um aperto de mão secreto em A Princesa e a Plebeia que faz lembrar a cena em que Annie foi deixada no acampamento. Foi preciso muita prática para aperfeiçoar?
Hudgens: Não. [Risos] Literalmente foi em um dia de filmagem. Meu diretor, Mike, disse que precisávamos inventar um aperto de mão, então eu fui até a garotinha com a qual estava contracenando e perguntei “você tem alguma ideia?” e ela respondeu “não”, eu fiquei tipo “Garota, vamos lá. Me ajuda aqui!” [risos] Então, na noite anterior, eu, claro, assisti Operação Cupido. Eu estava tentando aprender o que eles estavam fazendo e tentando prestar homenagem a isso de alguma forma.

Você tem algum aperto de mão secreto na sua vida? Tipo com sua irmã ou seus amigos?
Hudgens: Não tenho. Eu sou tão chata! Acho que eu e meu namorado [Austin Butler] temos um, onde passamos um pelo outro e fazemos o high-five e depois fazemos o low-five enquanto estamos indo embora, como por trás das costas. É meio difícil porque ele é mais alto que eu, mas nós temos uma conexão magnética.

Você é uma cantora muito talentosa. Você meio que canta no filme, mas apenas no fundo no final. Você faria uma comédia romântica musical original se alguém te apresentasse?
Hudgens: Sim, claro. Eu amo musicais. Musicais são como minha casa. Toda vez que estou em um set que posso cantar, atuar e dançar, sou de longe o meu eu mais feliz. Então eu estou sempre aberta para um musical, nunca contra isso. Eu cresci fazendo teatro musical e meio que encontrei meus próprios pés por estar no palco. Então, se há um novo musical original acontecendo, eu definitivamente seria a primeira a embarcar. Mas, claro, há tantos clássicos também, especialmente na Broadway. Para mim, é sempre sobre o tempo. Se for a hora certa, estarei pronto para isso.

Você acha que deveria haver uma sequência para o The Princess Switch? Se sim, o que você gostaria de ver?
Hudgens: Eu honestamente nem sei aonde iria a história, porque já tivemos nossos finais felizes. Teríamos que criar mais conflitos ou talvez uma terceira gêmea. Enfeitar as coisas um pouco. Eu não faço ideia. Eu vou deixar isso para os escritores, mas sei que me diverti muito fazendo isso. Os personagens são tão doces, eu definitivamente estaria a bordo.

Clique aqui para conferir a original.

A comédia romântica conta a história de Stacy De Novo (Hudgens), uma confeiteira de Chicago, que é convidada para participar de um concurso no reino da Belgravia, uma semana antes do Natal. Ela acaba conhecendo uma duquesa que é a sua cara, Margaret Delacourt (Hudgens), que está de casamento marcado com o príncipe Edward (Sam Palladio). Cansada do mundo da fama e ansiando por uma vida mais tranquila, a duquesa insiste que as duas troquem de lugar por alguns dias. Várias confusões acontecem quando Stacy se apaixona por Edward e Margaret se apaixona por Kevin (Nick Sagar), melhor amigo de Stacy.

“A Princesa e a Plebeia” já está disponível no catálogo da Netflix.

Comentários