• Showing all posts for Entrevistas


    07.04.2015
    Postado por VHBR

    Na noite de ontem estreou o novo programa virtual “Come Here and Say That” (parte do site Fusion.net), e o primeiro episódio contou com uma entrevista exclusiva em vídeo com Vanessa, onde ela falou sobre sua estreia em um musical da Broadway com “Gigi”.

    Confira abaixo um trecho da entrevista (publicado no site do programa) traduzida exclusivamente por nossa equipe, e o vídeo completo:

    Queridinha dos musicais para sempre! Vanessa Hudgens fala de Gigi na Broadway: Eu nunca trabalhei tão duro antes.

    É meio difícil de acreditar que a veterana da Disney, Vanessa Hudgens, está fazendo sua estreia na Broadway agora. (Né!?) Depois de tudo, ela começou sua vida como uma celebridade completa graças ao seu papel em High School Musical, que é, agora, praticamente um clássico.

    E apesar da virada de Hudgens para papéis mais dramáticos e inesperados (olá, “Spring Breakers”) ela voltou a ser doce como uma torta em Gigi da Broadway. A produção recria um clássico do cinema musical de 1958, centrado numa jovem livre e independente vivendo em Paris na virada do século.

    A personalidade da protagonista que não se acomoda nem se conforma, na verdade, reflete ela mesma, Hudgens conta a Alicia Menendez da Fusion. “Eu me identifico com Gigi de uma maneira exagerada”, ela diz.

    [Gigi] não quer ser confinada no estereotipo que a sociedade escolheu pra ela, e é meio assim que eu me sinto. Eu sou tipo, ‘Eu vou viver minha vida do jeito que eu quiser, não vou seguir as regras de ninguém mais senão as minhas próprias.’”

    Ainda, Hudgens diz, você vai encontrar uma mensagem importante onde pode parecer uma coreografia de uma musica não tão séria. “No fim das contas você tem que fazer o que te faz feliz”, ela diz. “Só você está vivendo sua vida, ninguém mais”.

    Clique aqui para conferir a matéria original.

    Tradução exclusiva do Vanessa Hudgens Brasil, se copiar não esqueça dos créditos!

    07.04.2015
    Postado por VHBR

    Vanessa concedeu uma entrevista à coluna de Cindy Adams do site PageSix.com, onde falou sobre suas novas experiências na Broadway, sua personagem Gigi e seu namorado Austin Butler.

    Confira a mesma traduzida exclusivamente por nossa equipe abaixo:

    Vanessa Hudgens se sentiu fora do lugar no teste para a Broadway

    Na quarta-feira é a abertura de Gigi na Broadway. Hoje é Vanessa quem se abre.

    “Aos 3 anos eu fiz minha primeira peça. Aos 5 eu estava na casa de espetáculos local cantando e dançando como a Virgem Maria na história do nascimento de Jesus.

    Gigi é minha estreia na Broadway. Eu sou metade Filipina então eu não me via nessa personagem de época. Eu estava num festival musical em Palm Springs quando a produção ligou. Então eu baixei a musica, escutei o filme e voei para Nova York.

    Num prédio que é o centro dos testes da Broadway, todos os candidatos estavam cantando seus corações pra fora. Tentando tanto. Eu me senti no lugar errado. Eu estava nervosa. Apavorada. Eu comecei a ler as falas e de algum jeito pareceu certo. Fiz a cena que preparei. Me pediram pra fazer outra, que eu não tinha preparado.

    Nada feliz, fui pra outra sala e trabalhei nisso. Me deram 10 minutos. Com minha voz gravada no celular, fiz o meu melhor. Memorizei o máximo que eu pude. Não me deram comentário nenhum e me ligaram poucas horas depois.

    Agora estou aqui cantando o mais alto que posso nesse figurino de espartilho apertado. Respirando fundo até o último espaço dos meus pulmões.

    Tem sido difícil. Em um dia de folga eu fui pra festa de encerramento do Alan Cumming de Cabaret, cheguei em casa tarde e imediatamente acordei doente.

    O mais difícil de fazer e de aceitar é aprender que não há segunda chance. Não dá pra fazer de novo e de novo até ficar perfeito. Você tem que fazer direito logo de primeira”

    Ok. Agora as coisas importantes. Ela tem um namorado?

    “Por sorte eu tenho. Mas não tenho que me preocupar com ele agora porque ele está trabalhando na Nova Zelandia.”

    Clique aqui para conferir a matéria original.

    Tradução exclusiva do Vanessa Hudgens Brasil, se copiar não esqueça dos créditos!

    04.04.2015
    Postado por VHBR

    Em recente entrevista ao site The Broadway Style Guide, o ator Corey Cott, que interpreta Gaston Lachaille – par romântico de Vanessa em “Gigi”, falou sobre estilo, teatro, vida pessoal e ainda sobre sua amizade com Hudgens, contando um fato bem engraçado sobre “High School Musical”.

    Confira os trechos em que ele fala sobre V e “High School Musical” traduzidos exclusivamente por nossa equipe abaixo:

    […]
    Um elogio gratuito de Cott pode fazer o dia de alguém, e enquanto ele admite ainda estar se acostumando com o status de rock star, sua colega de elenco em Gigi, Vanessa Hudgens, pode ensinar uma coisa ou duas sobre ter seguidores. “Ela está se tornando como uma irmã”, Cott diz sobre a estrela de High School Musical. “É tão fácil conversar com ela, ela não faz a diva de maneira alguma.”

    O filme da Disney estreou quando Cott tinha 16, e na época ele estava no time de basquete e na peça de teatro da escola. “Eu sou o Zac Efron!”, Cott faz piada do ator, que interpretou Troy Bolton – uma estrela do basquete que se torna um nerd do teatro. Ele até confessou que cantou “Breaking Free”, o famoso dueto do filme, com uma colega de classe dele. “Quando eu conheci Vanessa, eu mostrei a ela, e nós morremos de rir!”, ele acrescenta.

    Cott ainda aponta que obras como High School Musical, Glee e até o Youtube têm feito musicais de teatro mais acessíveis às massas, e programas como American Idol e The Voice mudaram a maneira com que nós enxergamos o talento.

    “Eu não sei se musicais de teatro tem tanto prestigio quanto costumavam ter, sabe? Porque eu acho que a habilidade de atuar e cantar foi diluída um pouco, está em todo lugar” Cott diz. “Tipo, eu apoio completamente High School Musical e Glee e essas coisas. As coisas mudaram por causa disso.”
    […]

    Você pode conferir a entrevista completa em inglês clicando aqui.

    Tradução exclusiva do Vanessa Hudgens Brasil, se copiar não esqueça dos créditos!

    02.04.2015
    Postado por VHBR

    Vanessa concedeu uma entrevista exclusiva ao site da revista Entertainment Weekly, onde falou sobre suas experiências no teatro, sua estreia na Broadway, sua personagem Gigi, e ainda sobre seu futuro projeto “Grease: Live”.

    Confira a mesma traduzida exclusivamente por nossa equipe abaixo:

    Agora que Vanessa Hudgens chegou a Broadway, a Broadway seduziu Vanessa Hudgens. “Eu absolutamente adoro estar no teatro”, ela contou ao EW. “Eu amo o processo de ensaios. Eu amo estar no palco. Eu amo ter só uma chance de fazer tudo certo. Eu apenas amo o desafio do teatro. Deixou uma última impressão tão boa pra mim que eu meio que não quero largar isso”

    A atriz, uma aluna da franquia da Disney “High School Musical”, atualmente está fazendo o papel principal no remake da versão de Alan Jay Lerner e Frederick Loewe para o romance de Colette. Uma versão teatral do filme ganhador do Oscar de 1958 originalmente chegou a Broadway em 1973. Essa produção, no entanto, contou com Heidi Thomas de “Call the Midwife” para adaptar a obra, e trás uma Gigi descrita por Vanessa Hudgens como uma “garotinha durona”.

    Já que Hudgens também vai interpretar um outro tipo de durona em peça musical da produção ao vivo de Grease na Fox, EW conversou com a atriz sobre como é sua vida na Broadway.

    Quando você viu Gigi pela primeira vez? Você assistiu o filme?
    Eu comecei principalmente ouvindo a musica. Meu empresário na verdade me ligou enquanto eu estava no Coachella ano passado. Ele disse que estavam fazendo um remake de Gigi e os produtores estavam muito interessados que eu fizesse. EU fiquei tipo, sério? Porque eu não sei como eles me viram como uma garota parisiense de 1900. E ele falou tipo, não, eles estão realmente interessados, dá uma olhada no projeto e me diz o que você acha. Como eu sou uma pessoa de musicais, foi isso que me chamou atenção primeiro, e amei de cara. Lerner e Loewe, tudo o que eles fizeram eu sempre fui fã – tipo com My Fair Lady. Tinha esse mesmo tom. E então eu assisti o filme e meio que me apaixonei. Eu amo Leslie Caron. Sua interpretação de Gigi foi tão fantástica que me fez me apaixonar pelo projeto. Eu também li a parte que eu teria que fazer para o teste, e fiquei tipo, meu Deus, as palavras cabem perfeitamente em minha voz e meu corpo. Apenas pareceu muito natural.

    Como você começou a se preparar para o projeto? Você reassistiu o filme?
    Definitivamente eu assisti o filme algumas vezes, porque eu acho que Leslie Caron fez um trabalho incrível dando vida aquela jovem, moleca, de espírito livre, e então a transformando nessa jovem mulher realmente elegante. Essa é uma das coisas mais importantes sobre Gigi, é poder vê-la em dois momentos diferentes. Eu definitivamente assisti no meu iPod várias vezes antes de cada noite de ensaio, só pra tentar resgatar aquele espírito que ela trouxe à personagem – e então obviamente colocar meu próprio espírito nisso.

    Eu conversei com Heidi Thomas antes mesmo da temporada no Kennedy Center sobre modernizar a obra e remover alguns elementos do filme que poderiam ser estranhos hoje em dia. Como você vê a existência de Gigi como uma personagem moderna?
    Antes, ela não tinha muito o que dizer sobre o que estava acontecendo. De alguma forma, ela era quase um fantoche sendo moldada do jeito que os outros queriam que ela fosse. Na nossa versão, Gigi é muito mais forte, independente e determinada, o que é tão incrível. Eu acho que é fácil se colocar num rótulo e agir de certa maneira, estando você nos holofotes ou sendo uma pessoa normal. É fácil ficar quieta e andar na linha, mas Gigi não é assim. Ela é aquela que tem voz, fala o que pensa, chama atenção das pessoas, vê através delas, e ela é esperta. Ela é muito independente e muito inteligente. Ela é uma garota durona – durona para o mundo de 1900 em Paris.

    Você começou a fama com High School Musical, agora está na Broadway fazendo um musical. Teve alguma vez que você quis se distanciar dos musicais?
    Não, eu sempre amei musicais. Meus primeiros filmes favoritos eram musicais. Eu sempre amei isso. Nunca teve um momento em que eu senti que estava presa em um certo formato. Só que é algo que eu sempre adorei e nunca tive problema em fazer.

    Porque Broadway agora?
    Esse foi o papel perfeito. Eu sempre disse que queria estar na Broadway, mas estava apenas esperando para o papel perfeito aparecer, e eu queria dar origem a um personagem. Mesmo que Gigi já tenha sido feito antes, foi completamente repensado nessa nova versão. Eu realmente pude colocar minhas próprias emoções nisso e quase criar uma nova personagem.

    Às vezes os fãs da Broadway podem ser um pouco esnobes com estrelas de cinema e TV indo aos palcos. Você se deparou com alguma crítica nesse sentido, e se sim, como respondeu a isso?
    Todos os veteranos da Broadway que trabalharam comigo têm sido as pessoas mais receptíveis que eu já trabalhei com. Todos tem me apoiado muito – constantemente me atendem se eu preciso perguntar alguma coisa, o que eu faço o tempo todo, e me dão conselhos, o que normalmente é extremamente relevante e útil. Eu estou fazendo o melhor que eu posso. Estou trabalhando o máximo que já fiz até agora, e estou extremamente orgulhosa do que estou fazendo. Se alguém não gostar, é direito de cada um. Mas eu tenho orgulho do que estou fazendo. Se eu continuar assim, o que mais posso querer?

    Qual é a parte mais difícil de estar na Broadway?
    Só todo o conjunto de trabalho que dá: com sua voz, seu corpo fisicamente e mentalmente. É muito trabalho, muito tempo pra se dedicar, totalmente focada, estar presente o máximo possível, e dar muito duro pra interpretar uma personagem e poder contar uma história para o público da maneira mais clara possível. É muito legal, mas eu estou acostumada a ter uma segunda chance. No teatro e na Broadway, não dá pra tentar de novo.

    Qual tem sido a parte mais divertida? Como é sua vida nos bastidores?
    Bom, eu não saio do teatro nunca. Muitas pessoas saem pra comer. Eu normalmente fico no camarim, peço comida, e recentemente tenho assistido Unbreakable Kimmy Schmidt. Honestamente, a melhor parte pra mim é poder me apresentar pra um público na Broadway. É tão emocionante. E é um teatro com tanta história. Você sente isso nas paredes. Você sente em todos os lugares que você vai. É a maior adrenalina de todas.

    Broadway é algo que você pretende continuar fazendo?
    Eu estou tipo, ‘eu tenho que voltar pro cinema?’ Eu amei, é tão divertido. É o meu favorito.

    Indo em frente, gostaria de te perguntar sobre Grease ao vivo na Fox. Como isso aconteceu? Você está ansiosa? Já começou a trabalhar nisso de alguma forma?
    Eu realmente não sei nada ainda. Meu envolvimento até agora foi só ler e cantar para o diretor, e fazer algumas cenas. Ele é fantástico. Nós tivemos um ótimo tempo nos conhecendo e projetando como seria nossa versão da Rizzo. Tenho certeza que vou me envolver mais com o tempo. O único jeito de trazer isso pra você é realmente fazendo. Mas eu estou muito animada porque vai ser uma troca de papéis tão diferente pra mim. Gigi é linda, de espírito livre, exuberante, uma jovem cheia de vida, e Rizzo é mais fechada, durona do tipo “eu não dou a mínima”. Será uma mudança legal. Não tem nada que eu ame mais do que interpretar personagens diferentes.

    Clique aqui para conferir a matéria original.

    Tradução exclusiva do Vanessa Hudgens Brasil, se copiar não esqueça dos créditos!

    01.04.2015
    Postado por VHBR

    Como previsto, Vanessa foi uma das atrações convidadas de hoje (1 de Abril) do programa “Live! With Kelly and Michael”, exibido pela emissora americana ABC, e gravado nos estúdios da mesma, em Nova York.

    O programa foi ao ar ao vivo às 11h (horário de Brasília), contando com uma entrevista com Hudgens, onde ela falou sobre sua nova experiência no palco da Broadway, sua personagem em “Gigi” e mais. Após o comercial, ela já estava caracterizada de Gigi e juntamente com o balé, performou a canção “I Never Want To Go Home Again”.

    Adicionamos as fotos do programa e dos bastidores em nossa galeria, confira clicando em qualquer miniatura abaixo:

    PROGRAMA

    01 02 03 01

    BASTIDORES E ENSAIO

    01 02 01 02

    Além disso, o vídeo com a entrevista e performance completa de V no programa foi divulgado, confira abaixo:

    27.03.2015
    Postado por VHBR

    O site Playbill publicou uma matéria falando sobre Vanessa interpretar a icônica personagem Gigi na Broadway, e não poupou elogios à ela. O artigo ainda conta com uma entrevista com Hudgens e o elenco do musical.

    Confira a mesma traduzida por nossa equipe abaixo:

    Uma estrela de High School Musical pode agradar os críticos? Criadores da Broadway afirmam, “Vanessa É Gigi!”

    A sensação de High School Musical Vanessa Hudgens está no coração da mais nova adaptação de Gigi, que acabou de ir para a Broadway semana passada. Será que ela vai agradar os críticos quando alcançar a tão esperada estreia oficial?

    Quando Gigi de Alan Jay Lerner e Frederick Loewe, combinado com uma nova versão literária pela roteirista britânica nomeada ao Emmy, Heidi Thomas, estreiar no Teatro Neil Simon na Broadway em 8 de abril, Vanessa estará fazendo sua grande estreia.

    Ela se sente pressionada mesmo estando sob os holofotes desde sua adolescência com a franquia de sucesso da Disney, High School Musical – e vendo sua vida pessoal por toda a internet e tabloides? “Não”, ela diz, firme. “Você não pode viver sua vida através dos olhos dos outros.”

    Ela vê as coisas similarmente como Gigi as vê. Gigi, a destemida cortesã em treinamento na trama do musical, está buscando sua autenticidade.

    “Nessa época moderna de hoje em dia, tudo é tão sexualizado demais, principalmente as mulheres mais jovens – e é isso que vende” Hudgens aponta. “E, nisso, não é do que se trata! Se trata da pureza e força que você tem como indivíduo para encontrar sua própria felicidade. Isso é tão mais poderoso que qualquer cunho sexual. Além disso, ela nasceu numa época em que a sociedade deixava as mulheres jovens numa caixa. Ainda hoje [se] você é uma jovem mulher, as pessoas querem te empurrar pra essa caixa, como se você tivesse predestinado a ser de certa maneira, [mas] Gigi diz ‘Isso não é certo pra mim. Eu não quero ser essa pessoa. Não vou ser. Vou fazer minhas próprias regras e ser meu próprio individuo’, e isso é tão empoderador e irá lembrar as mulheres e as jovens a serem elas mesmas – não importa quão difícil talvez seja.”

    Enquanto Mamita Alvarez (Victoria Clark) e tia Alicia (Dee Hoty) criam Gigi e a ensinam sobre etiqueta, charme e graciosidade, ela passa de uma menina para uma moça, e Gaston (interpretado por Corey Cott, que acabou de fazer Newsies) tem seus olhos nela.

    “Acho que o mais legal dessa peça é que é mais do que um musical de época”, diz Cott. “Eu acho que é uma redefinição do que significa ser uma mulher e ser um homem numa sociedade em cada geração… Eu acho que todos os envolvidos se inspiram no pioneirismo representado na personagem de Gigi, no sentido de redefinir o que significa estar vivo e ser uma mulher naquela época, em que era tão difícil ser uma mulher. Os homens controlavam tudo. Não havia muita oportunidade pra elas. Se você queria ter algum controle como mulher, tinha que ser cortesã ou amante. É emocionante assistir isso, mas também tem sido emocionante percorrer esse caminho [de um musical histórico] de um jeito diferente que com Jack [em Newsies]. Gaston também… no final do show, amadurece – percebendo que amor [e] paixão verdadeira são mais importante que coisas materiais, do que ganhar joias ou fama…”

    Tudo no musical busca autenticidade, como aponta a escritora Heidi Thomas. “Gigi quer uma experiência que ela se sinta autêntica”, ela diz “E eu acho que tantos de nós estão buscando autenticidade mesmo no mundo moderno, e eu acho que uma boa dose de um clássico é algo que funciona de uma maneira diferente, mas igualmente enriquecedor pra cada nova geração”

    “Gigi” de fato é um clássico. Audrey Hepburn originalmente esteve no papel principal da versão para os palcos de 1951 produzidos por Anita Loos e adaptada do livro de 1945 de Colette. E o filme de 1958 dirigido por Vincente Minnelli e estrelando Leslie Caron no papel principal recebeu nove Oscars, incluindo Melhor Filme, e foi selecionado para ser preservado pelo Registro Nacional de Filmes dos Estados Unidos, pelo Library of Congress em 1991. Uma adaptação musical, estrelando Karin Wolfe, chegou a Broadway em 1973.

    O que atraiu Hudgens a ser a nova Gigi? “Foram tantas coisas, honestamente!” Ela diz com entusiasmo. “Digo, o fato de tantas mulheres maravilhosas terem interpretado Gigi – Leslie Caron, Audrey Hepburn – esses são passos bem épicos a seguir! Eu pensei ‘Porque não? Será um bom desafio!’ e também, a música de Lerner e Loewe é maravilhosa. Eu cresci ouvindo My Fair Lady, aquela energia que eles tinham nas músicas se transpassa em tudo que eles fazem, então tem o mesmo espírito. E, a personagem… Eu acho que é muito raro encontrar uma personagem que teve uma transformação tão grande, um desenvolvimento tão bom em alguém que é tão pura e honesta com quem ela é. Ela é uma modelo incrível. Eu sempre quis ser ela, agora eu posso ser.”

    Quando o diretor Eric Schaeffer e a escritora Thomas viram Hudgens no teste dela, sabiam que tinham encontrado “a escolhida”, mesmo que a intenção inicial deles não era ter uma estrela no papel principal.

    Schaeffer admite “Posso dizer, como diretor, raramente acontece [de] alguém entrar, fazer o teste, sair e você ficar tipo ‘é essa!’ E foi exatamente isso que aconteceu com Vanessa. Ela entrou, com tudo necessário memorizado pro teste, e ela simplesmente tinha algo a mais. Não dá pra capturar isso, refazer ou industrializar isso. Eu fiquei tipo ‘Contrate-a. Ela é Gigi.’ E [quando] planejamos isso originalmente, nós quase pensamos que encontraríamos alguém anônimo e descobriríamos essa pessoa…”

    Thomas interveio: “Audrey Hepburn foi descoberta assim. Colette, a romancista, a viu andando pelos corredores de um hotel e disse ‘Ela é minha Gigi’. Eu realmente acho que Vanessa merece suceder Leslie Caron e Audrey Hepburn porque ela tem ‘algo’. Ninguém pode mudar isso. Estivemos tentando por semanas e meses e ficamos tipo ‘porque ela é tão mágica?’ Ela apenas é! Vanessa É Gigi.”

    Como e porque Hudgens se conectou tão forte com a personagem? “Eu sou uma criança de coração”, ela diz, “e quando posso voltar a ser criança é quando sou mais feliz, e acho que é quando eu mais brilho. Eu fui lá e fiz primeiro uma cena de uma versão mais jovem de Gigi em que eu pude ser exatamente isso. E, quando faço isso, é a versão mais feliz de mim, e eu acho que isso aparece. Acho que é contagiante, sabe? Então eu fiz assim, e acho que isso os deixou meio animados. Eu não tinha preparado outra cena, [mas] eles me pediram pra fazer, então eu fui pra outra sala sozinha por 10 minutos, me preparei, voltei e fiz. Eu também sei ser uma mulher desafiadora… Estar nesse meio com tantos red carpets acabei tendo que ser uma pequena mulher de negócios, você acaba sabendo se portar. Acho que eles puderam ver os dois lados da Vanessa, que também são os dois lados de Gigi, então acho que funcionou perfeitamente.”

    Ela acrescentou, “Estou feliz. Estou apaixonada pelo que estou fazendo. Estou nas nuvens, e acho que vai ser absolutamente incrível.”

    As críticas começam a pesar a partir de 8 de abril!

    Clique aqui para conferir a matéria original.

    Tradução exclusiva do Vanessa Hudgens Brasil, se copiar não esqueça dos créditos!

     

    26.03.2015
    Postado por VHBR

    Vanessa concedeu uma entrevista íntima e reveladora ao famoso jornal americano New York Times. No papo, ela falou sobre “Gigi”, religião, feminismo, seu relacionamento com Zac Efron e muito mais!

    Confira a mesma traduzida exclusivamente por nossa equipe abaixo:

    Vanessa Hudgens, vitima de escândalos por fotos íntimas vazadas na internet, esteve nua novamente – mas se acalmem. Dessa vez ela estava segura trancada dentro de um provador nos fundos da loja Alice & Olivia no SoHo, experimentando possíveis trajes para a festa de comemoração da estreia da nova versão da Broadway de Gigi, na qual ela estrela.

    “Oh meu Deus” Senhorita Hudgens diz, admirando-se no espelho com um vestido longo prateado, depois de pedir algo “brilhoso” para a chefe executiva e diretora criativa, Stacey Bendet. Os cortejos murmurados foram sinais de aprovação.

    “Eu gosto mais soltinho, mas a gente pode apertar um pouco” Sra. Bendet diz, estendendo a parte de cima.

    Papéis pardos cobriam as janelas das lojas – Colados com fita adesiva naquela manhã, segundo um funcionário, depois que paparazzis seguiram Srta. Hudgens – uma das favoritas do hall de famosos da US Weekly desde que estrelou a franquia High School Musical – durante sua expedição de compras.

    Contrariando a máxima da avó de Gigi, que é “comece por recusar-se a dar uma entrevista pra qualquer um”, ela acabou de se sentar em frente a um homem com uma câmera, respondendo perguntas sobre sua próxima aparição, como Rizzo, na versão televisiva de “Grease”, que vai ao ar na Fox em 2016. Horas depois, fotos dela com batom escuro, cabelos elegantemente cacheados e uma bolsa branca grande o suficiente pra caber o “Pentagon Papers” (um documento do governo dos EUA de 14mil páginas) apareceram no The Daily Mail Online, junto com instruções para encontrar versões muito parecidas de seus sapatos.

    “Eu tenho picos de estresse com aglomerado de pessoas” Srta. Hudgens conta a Sra. Bendet, amigas desde que elas trabalharam no filme “indie dos indies” Gimme Shelter, descrevendo sua reação com a invasão de privacidade. “É como se eu sentisse ‘O que é isso na minha nuca?’”

    A coleção de penas de pavão, contas e flores que Srta. Hudgens experimentou não estava ajudando em nada. “Não sei, não sei” Ela lamentou enquanto um publicitário a pressionou para tomar uma decisão “Eu não sei o que eu quero!”

    Aos 26 anos, no entanto, Srta. Hudgens tem certeza de uma coisa: Depois de se aventurar na televisão, cinema e música pop, obter sucesso no teatro é a sua atual ambição mais apavorante – Mesmo que ela demonstre isso tomando um coquetel acompanhado de risadinhas, OMG’s e uma capinha de iPhone com bolinhas douradas. Depois de três semanas em prévia, a estreia oficial de Gigi, em 8 de abril no Teatro Neil Simon, irá exigir muita maturidade e precisão.

    “Fazer isso realmente mudou minha perspectiva e objetivo de trabalho” Srta. Hudgens disse durante o intervalo de almoço nos ensaios de Gigi. (Enquanto alguns esperavam pelo banquete com muito bacon que Colette detalhou tão minuciosamente no romance de 1944 em que se baseia o musical, ela apenas deu algumas mordidas na fatia de pizza do colega de elenco) “Eu sinto que uma mudança drástica está acontecendo. Novamente estou me descobrindo no teatro, como aconteceu quando eu era criança, isso me faz ficar tipo ‘Meu Deus, é isso que eu quero. É isso que eu quero continuar fazendo’”.

    Mas com um investimento de 12 milhões de dólares, Gigi é um risco: A produção, assim como sua protagonista, esteve sujeita a diversas manipulações. Originalmente adaptada como peça por Anita Loos (“Gentlemen Prefer Blondes”) que descobriu o talento genuíno de Audrey Hepburn em 1951, foi imediatamente adaptado para as telas sete anos depois por Vincent Minneli, com músicas de Alan Jay Lerner e Frederick Loewe, e Leslie Caron (também com 26 anos na época) no papel principal de uma cortesã adolescente em treinamento. Mesmo que ainda baseado nos ideais feministas da época, a versão da Broadway de 1973, baseada no filme, durou apenas 103 apresentações.

    Quatro décadas depois, Heidi Thomas, uma escritora britânica que trabalhou na BBC com “Call the Midwife” e na modernização de “Upstairs, Downstairs”, se dedicou em Gigi com o formato de “Wicked” em mente; a parceria com Alice & Olivia, uma marca jovem que está vestindo o elenco feminino pra festa de estreia, é parte disso. (Catherine Zuber criou o figurino contextualizado na Belle Epoque)

    Nesse sentido, Sra. Thomas também fez referencia a Colette: “uma mulher radical o suficiente pra fazer topless”, ela apontou numa entrevista ao telefone, se referindo à exposição pública da autora do seu seio esquerdo, “e libertar as mulheres de séculos de pré-julgamentos” (Essa é uma nova perspectiva sobre as selfies ousadas de hoje em dia)

    A música mais famosa do espetáculo, “Thank Heaven for Little Girls” agora é cantada não pelo velho coroa interpretado por Maurice Chevalier no filme, mas pela avó e tia de Gigi. A protagonista não tem 16 anos, como no romance de Colette, mas 18 – “uma fase punk” Hudgens acrescenta – e seu par, Gaston, saiu da fase de meia idade dos 25 (Corey Cott, anteriormente em “Newsies”, interpreta o papel)

    “A gente tinha que tirar toda a parte pervertida da coisa – essa foi a primeira missão” disse Eric Schaeffer, o diretor.

    Sra. Thomas diz: “Agora se trata das experiências de Gigi, as escolhas e decisões dela. Ela é vista como mercadoria pela sociedade, e ela não quer ser uma mera mercadoria. Ela quer ser a agente, se é que me entende: agente de seus relacionamentos e do seu próprio destino.”

    Produzido por Jenna Segal, novata na Broadway depois de passar pela MTV e Nickelodeon, o espetáculo começou em Janeiro no Kennedy Center em Washington, onde ganhou nada além de bons comentários. (Uma review da Variety disse que Hudgens teve uma estreia muito sólida). Mas enquanto Sr. Schaeffer insiste que a escolha do elenco não foi baseada na fama – “Ela tem esse espírito jovem e atual, ela sempre ilumina a sala”, ele diz – Certamente ajudou ter a fã-base jovem e entusiasmada dela, em força total. “Literalmente parece que é um grande grupo de feministas”, Hudgens diz. “Dá pra sentir o poder feminino no lugar”.

    Com relação ao feminismo dela mesma “Eu costumava ficar em cima do muro sobre isso”, ela diz “porque parece que chega um certo ponto que quase tem o efeito contrário, o movimento é tão massivo e agressivo que é mais do que apoiar o orgulho feminino e os direitos da mulher, se torna quase algo como “Eu sou um homem”.

    Com uma risada contagiante, ela completa “Mas agora acho que há uma nova vertente de feministas que realmente se trata da igualdade de direitos para as mulheres. Digo, Beyoncé claramente está fazendo isso, e eu a amo.”

    Srta. Hudgens foi inserida na cultura pop durante sua mudança da Costa Oeste, de Irrigon, Ore. Para Salinas e San Diego, na Califórnia, com seu pai, bombeiro, Gregory Hudgens, sua mãe, que trabalhava em um escritório administrativo, Gina Guangco, e sua irmã mais nova, Stella, que também é atriz. “Eu costumava correr pela casa fantasiada de mulher gato fazendo minha própria coreografia de ‘Everybody Dance Now’”, ela conta. “Era assim que eu era”

    Após uma pequena participação em “Aos Treze”, o aclamado filme de 2003, de Catherine Hardwicke sobre a perigosa adolescência em Los Angeles, Hudgens definitivamente saiu do anonimato com High School Musical (2006) e após duas sequências ela praticamente se tornou a rainha do baile nacional, após assumir o namoro com o par romântico, Zac Efron.

    Mas o destino de um amor tão jovem nem sempre corre bem. “Eu passei por uma fase em que eu era bem ruim porque eu estava tão exausta” Hudgens diz. “As garotas corriam atrás dele, e eu as fuzilava com o olhar. E então eu percebia que não se tratava disso. ‘Espalhe o amor, seja uma pessoa boa, elas te apoiam, seja legal’”.

    O ajuste de sua imagem incluiu o atrevido papel no filme de Harmony Korine em 2013, Spring Breakers, que contém uma memorável cena de sedução envolvendo James Franco e uma arma.

    Atualmente ela está namorando, morando junto e postando isso no Instagram para 6.7 milhões de seguidores, com Austin Butler, também ator, e quem ela disse ter restaurado sua fé cristã. Mesmo sendo de família católica, Hudgens diz que “nunca me senti tão ligada a isso”.

    O casal frequenta a Hillsong, uma megaigreja popular há milênios pelo jogo de luzes, produção de vídeos e atmosfera acolhedora. “Lembra Arcade Fire – é épico desse jeito” ela diz, se referindo a banda de mesmo nome. “Eles realmente focam em você mesmo tendo um relacionamento pessoal com Jesus, o que é incrível”.

    Sua espiritualidade também envolve cristais, apanhador de sonhos e flores. “Eu sou definitivamente hippie”, ela diz. “Eu literalmente fico mais feliz dançando seminua num gramado ouvindo Led Zeppelin”

    Tem também sessões intensas de bicicleta ergométrica. Seu lado fitness ficou evidente durante o ensaio de “I Never Want to Go Home Again” em Gigi, uma performance animada na praia no qual Hudgens veste uma roupa de banho rosa choque e rodopia pelo palco brincando com uma bola inflável, que jogaram pra ela pelos fundos, ao mesmo tempo em que mantém uma pose impecável.

    A única parte da peça em que ela hesita, ela conta, é ter de ser levantada e ocasionalmente jogada pelos homens do grupo. “Eu tenho essa coisa que odeio ser levantada”, ela diz. “Eu meio que tenho medo de altura.”

    Mas as criticas afiadas e as demandas exigentes dos tapetes vermelhos, que tem causado grande desconforto entre as atrizes, não atinge Srta. Hudgens nem um pouco. “É realmente legal poder usar algo assinado por seu estilista favorito”, ela diz. “É tão divertido, andar como se fosse um manequim.”

    De volta a Alice & Olivia, deixando de lado as penas, brilhos e estampas coloridas, ela estava experimentando um conjunto bem estilo Colette no corte dos anos 70. Seus ombros estavam alinhados, as mãos no quadril, o queixo erguido.

    “Esse é muito Gigi” alguém sugeriu.

    “Isso é muito Vanessa” ela disse.

    Além da entrevista, Hudgens ainda realizou duas sessões fotográficas para o jornal, uma sendo por Michael Flores (feita durante os ensaios de “Gigi”), e outra por Bryan Derballa (no interior da loja Alice & Olivia, onde também aconteceu a entrevista).

    Confira ambas clicando em qualquer miniatura abaixo:

    MICHAEL FLORES

    01 01 01 01

    BRYAN DERBALLA

    02 02 02 02

    Clique aqui para conferir a matéria original.

    Tradução exclusiva do Vanessa Hudgens Brasil, se copiar não esqueça dos créditos!

     

    22.03.2015
    Postado por Carol Relva

    Confira abaixo as pequenas notícias liberadas entre os dias 15 e 21 de Março:

    Vanessa estará no Live With Kelly & Michael

    Vanessa teve sua presença confirmada no programa Live With Kelly & Michael, no dia 1º de Abril. Hudgens já esteve presente no programa no dia 8 de Fevereiro de 2012 para promover o filme Journey 2 (Viagem 2: A Ilha Misteriosa).

    Selena Gomez roubaria o closet de Vanessa

    Em entrevista ao programa The Alli Simpson Show, da Radio Disney, na última terça-feira, Selena Gomez foi questionada sobre qual closet de uma celebridade ela roubaria, ela respondeu Rachel Binson ou Vanessa Hudgens.

    Créditos: Selena Gomez Brasil

    Nova foto de Vanessa para o Project Mermaids

    Em 2013, Vanessa Hudgens e outras celebridades participaram do Project Mermaids, fotografado por Angelina Venturella, para o lançamento de livro que beneficiaria o site Save Out Beach. Nessa última semana, uma nova foto da sessão fotográfica de V foi divulgada, confira clicando em qualquer miniatura abaixo:

    1 1 1 1

    Segunda apresentação de prévia de “Gigi” na Broadway

    Na noite do dia 20 de Março, aconteceu no teatro Neil Simon Theatre, em Nova York, a segunda apresentação de prévia da peça Gigi, na qual Vanessa interpreta o papel principal. Um dos telespectadores divulgou na rede social uma foto de V nos palcos, durante sua interpretação, confira clicando em qualquer miniatura abaixo:

    2 2 2 2

    Fotos ao lado de fãs

    Nos últimos dias, foram liberadas várias novas fotos de Vanessa Hudgens ao lado de seus fãs, confira todas clicando em qualquer miniatura abaixo:

    1 2 3 4

    Atualizações nas redes sociais

    V atualizou suas redes sociais algumas nessa última semana, confira todas abaixo:

    15/03 – Quando você tenta se filmar dançando e cai de bunda… #oops

    16/03 – Caçador de sonhos com @flightof_fancy e @tolanicollection
    1 1 1 1

    17/03 – Foi uma boa noite
    2 2 2 2

    18/03 – Minha nova casa!!! Repost via @napacott
    3 3 3 3

    18/03 – Uma dose da Darla
    4 4 4 4

    19/03 – Amo tudo sobre isso @awildatheart
    1 1 1 1

    19/03 – Eu não acredito nisso. Em menos de uma 1 hora eu estarei performando para uma audiência na Broadway. Eu consegui!!!!!! Apenas mostre o trabalho duro no que você quer no momento certo… as estrelas alinham… E você se encontra exatamente onde deveria estar. Apenas você decide seu destino
    2 2 2 2

    20/03 – Melhor. Noite. Da Minha. Vida. Agradeço à Deus por Gigi On Broadway por tornar meus sonhos em realidade. Muito agradecida por ter o suporte da minha família, amigos e fãs. E muito obrigada ao diretor genial, Eric Schaeffer!
    1234

    21/03 – Graças ao @huntandfishclub eu mal entrei na minha roupa hahha continuo sonhando com essa refeição deliciosa
    1 1 1 1

    21.03.2015
    Postado por VHBR

    Vanessa está na mais nova edição da revista americana Teen Vogue, onde concedeu uma entrevista falando sobre diversos assuntos entre eles moda, beleza e viagens.

    Confira a mesma traduzida exclusivamente por nossa equipe abaixo:

    Vanessa Hudgens contou todos os detalhes de sua vida glamourosa, desde os modelos que ela está cobiçando atualmente, a seus destinos favoritos em todo o mundo. Ela também dá seus segredos de beleza para o baile de formatura e se derrete ao falar sobre sobre a pequena criatura que ela não se cansa.

    “Meu estilo pessoal está em todo o lugar. Só depende de meu dia, meu humor, ou o tempo. Às vezes eu sou muito boêmia, às vezes eu estou muito inspirada por diferentes eras, outras vezes eu sou inspirada por o que está em a passarela. “

    Apesar de seu estilo pessoal mudar de dia a dia, ela tem algumas marcas. “Ultimamente, minha roupa mais usada tem sido uma saia marcada com um top cropped combinando. É tão fácil de usar e me faz sentir muito feminina e confiante.”

    “Eu amo jóias de inspiração nativa-americana — turquesa é o meu paraíso”. Estamos totalmente de acordo.

    A estrela recentemente fez sua estreia na Broadway, interpretando o papel perfeito. “Eu estava esperando pelo show da Broadway perfeito e soube, no momento em que li Gigi, que era ele.”

    Vanessa gosta de viajar, e, recentemente, passou um tempo na terra natal da Lorde, a Nova Zelândia. Qual é o próximo destino de sua lista? “Eu quero muito ir para o Marrocos. Gostaria de enviar para casa uma caixa inteira de tapetes e luminárias.”

    E a cidade que ela não consegue se cansar? A Cidade da Luz. “Paris é a minha favorita. Eu estou tentando aprender francês agora porque eu quero morar lá por um tempo. Eu simplesmente amo o Louvre à noite, é tão especial. Tão quieto, e ao mesmo tempo cheio de risadas e passos.”

    Com uma carinha fofa, não é nenhuma surpresa que Vanessa seja louca por sua cachorrinha. “Darla é o meu cão de resgate. Ela é a criaturinha mais doce em todo o planeta! Ela é uma moleca que gosta de jogar bruto. Eu a adoro.”

    Além disso, o Team Hudgens NYC divulgou um scan da matéria na revista, confira clicando em qualquer miniatura abaixo:

    Miniatura Miniatura Miniatura Miniatura

    Tradução exclusiva do Vanessa Hudgens Brasil, se copiar não esqueça dos créditos!

    Pesquisar

    STREAM HUDGENS
    Vanessa Hudgens Brasil Todos os direitos reservados